JAVALI: A AMEAÇA QUE ANDA SOLTA POR AÍ

Topgen - A ameça do Javali
Publicado em: 30/07/2019

Nem tudo que anda solto na natureza é bonito. O Javali, ou porco asselvajado, ou ainda Javaporco, como também é conhecido, continua sendo um grande desafio para a suinocultura, para a agricultura e para o meio ambiente, haja vista que ele espanta animais silvestres, destrói vegetação nativa e lavouras, transmite doenças, danifica nascentes e pode representar risco ao ser humano também, motivos pelos quais deve ser combatido.

A população de javalis tem aumentado bastante nos últimos anos. Ele é muito esperto e pode andar até 70 km num dia, sendo que quaisquer sinais da presença desses animais devem ser notificados às autoridades sanitárias ou ambientais, ou mesmo a algum veterinário que possa dar seguimento ao assunto.

O que envolve a caça de Javali

Atualmente, existem pessoas especializadas e treinadas para a caça deste animal, o que não significa apenas matar, pois além de abater é preciso dar o destino apropriado à carcaça, coletar material para análise laboratorial e fornecer dados para estatística dos órgãos de defesa agropecuária, no caso do Paraná, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado, a Adapar.

Dados estatísticos são fundamentais no combate ao javali, pois além de comprovarem as ações, auxiliam a mapear a presença destes animais e atendem às necessidades de se manter a sanidade no plantel de suínos criados para fins comerciais.

Origem do animal

O Javali é oriundo da Eurásia, a área de terra composta pelos continentes europeu e asiático, separados pela cordilheira dos Montes Urais, localizado na Rússia, pelo Rio Ural, pelo Mar Negro e pelo Mar Cáspio. Já o Javaporco é o cruzamento do suíno doméstico com o javali, animal de vida livre.

Os suídeos asselvajados são todas as formas fenotípicas e cariotípicas de Sus scrofa scrofa de vida livre, não cativos ou criados sem supervisão humana.

Doenças transmitidas


Na Europa, os javalis são importantes transmissores da Peste Suína Clássica (PSC) e da Peste Suína Africana (PSA), estando também envolvidos na transmissão de doenças importantes para os suínos de produção comercial, como a Doença de Aujesky e a PRRS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.