A importância da nutrição nas matrizes suínas

Você sabia que a boa alimentação é fator fundamental para garantir uma boa performance reprodutiva das matrizes?

nutrição nas matrizes suínas

Não é segredo para ninguém que a suinocultura é uma atividade que requer uma série de técnicas e cuidados, que vão desde a escolha ideal da genética, manejo adequado, controle sanitário e, é claro, uma nutrição balanceada. Por tanto, quando o assunto é reprodução de suínos, é importante ter em mente a importância da nutrição nas matrizes suínas e que é um fator primordial para que a sua matriz se torne uma boa mãe, com gestação saudável, peso elevado dos leitões e suporte de grande leitegada. Tudo isso para que a mesma mantenha alta performance reprodutiva durante toda sua vida.

Vale ressaltar que a função reprodutiva das matrizes pode ser extremamente prejudicada caso a nutrição ocorra de maneira equivocada, seja por baixos níveis ou por excessos. Mas por que manter esses níveis em equilíbrio é tão importante? Porque o organismo do animal possui funções prioritárias que necessitam, em primeira instância de nutrientes e energia para manter sua vitalidade. No entanto, a reprodução não é uma função prioritária, mas sim, secundária. Ou seja, caso a nutrição esteja desequilibrada, há chances dessa matriz apresentar problemas reprodutivos, gerando perda de eficiência e aumento nos custos de produção.

Para evitar que isso aconteça, nesse artigo abordaremos a importância de uma boa nutrição das matrizes suínas e como tudo isso pode influenciar tanto as primíparas quanto as multíparas.

O que faz com que uma matriz seja uma boa primípara?

 

Uma das principais preocupações dos criadores de suínos é ter matrizes que sejam boas primíparas, ou seja, que tenham uma boa gestação e produzam leite em quantidade suficiente para todos os seus leitões na primeira gestação. Para que isso aconteça, é importante que a matriz esteja em boas condições de saúde e tenha um peso adequado para a gestação.

Nossa Matriz, a Afrodite, reúne todas as qualidades mais apreciadas pelo mercado: rusticidade, docilidade, uniformidade, elevado peso de leitegada, aparelho mamário e aparelhos locomotores ideais.

Ainda sobre o peso, é importante ressaltar que esse é um fator determinante para dizer se a matriz está apta ou não a gerar uma prenhez, visando seu desenvolvimento corporal. Além disso, outros fatores devem ser considerados para que a matriz seja uma boa primípara: idade, histórico reprodutivo da prole, o estado de saúde geral e, é claro, a qualidade da alimentação, como veremos a seguir.

A influência da alimentação nas primíparas

 

Quando se trata das primíparas, a alimentação tem um papel decisivo na sua reprodução, já que é nessa fase que a matriz precisa ter precocidade sexual, conquistar o peso adequado para o primeiro parto, gerir uma boa leitegada e produzir leite suficiente para os seus leitões, sendo importante ressaltar que essa fase requer grande gasto energético por parte do animal.

Portanto, uma alimentação adequada para as primíparas deve conter nutrientes essenciais como proteínas, carboidratos, lipídios, vitaminas e minerais, em quantidades adequadas para suprir as necessidades da matriz e dos fetos em desenvolvimento.

Lembrando que os alimentos devem ser combinados de acordo com as exigências nutricionais da matriz, que podem variar de acordo com a idade, peso e estágio da gestação. Você, como criador, deve optar por fornecer ração balanceada, com todos os nutrientes necessários. Alimentos como milho, farelo de soja, além de suplementos vitamínicos e minerais. Contudo, reiteramos a importância de sempre procurar ajuda de um profissional da área para formular as melhores dietas, visando assertividade e viabilidade econômica durante todo esse processo.

Influência da alimentação nas multíparas

 

Como estamos tratando de uma sequência, as matrizes multíparas sofrem influências adquiridas do processo de nutrição enquanto primíparas. Portanto, nessa fase o ideal é ter cumprido com todas as demandas da fase anterior, visando um peso adulto completo, além do retorno eficiente ao cio e, consequentemente, um intervalo menor possível entre os partos.

Para tanto, uma dieta balanceada para as multíparas deve conter proteínas, carboidratos, lipídios, vitaminas e minerais, de acordo com as necessidades nutricionais em cada estágio da gestação. Também é importante considerar a condição corporal e peso dessas matrizes e ajustar a alimentação de acordo com as necessidades individuais de cada animal. Uma boa dica para ajudar também nessas etapas é consultar o Manual de Manejo da TOPGEN.

Como funciona a alimentação após o parto?

 

A nutrição adequada das matrizes suínas não deve se limitar apenas à fase de gestação, mas também deve ser mantida após o parto para garantir a produção de leite, bom desenvolvimento dos leitões e retorno rápido à aptidão reprodutiva. Além dos nutrientes essenciais, a alimentação deve ser palatável e de fácil digestão, com a finalidade de estimular o consumo de alimentos e evitar problemas digestivos. A matriz também deve ter acesso a água limpa e fresca em quantidade suficiente para garantir a hidratação adequada, o que é fundamental para a produção de leite.

Se você gostou do conteúdo de hoje sobre alimentação de matrizes, compartilhe essa matéria com seus amigos e aproveite para acompanhar todas as novidades da TOPGEN nas redes sociais: FACEBOOK, INSTAGRAM ou LINKEDIN.